logo
Uma Ferramenta Versátil de Mapeamento Mental para Várias Plataformas.
appstore
Obtenha de App Store
Obter
logo
Uma ferramenta versátil de mapeamento mental para várias plataformas.
appstore
Obtenha de App Store
Obter
edraw-mindmaster-horizontal
Guia
O que há de novo?
Download Grátis
Compre Agora

Mapa Mental sobre Revolução Francesa | Mindmaster

> Conhecimentos sobre História > Mapa Mental sobre Revolução Francesa | Mindmaster
Posted by Ana Sophia | 08/07/2020

A Revolução Francesa (1789 – 1799) é tida como um dos grandes acontecimentos da Idade Moderna, juntamente da Revolução Industrial, da Revolução Americana e da Revolução Russa.

Esse período se caracteriza por disputas de poder de grupos políticos específicos que nem sempre são simples de entender. Nesse contexto, é muito importante para o aprendizado formular um resumo e um mapa mental, feito com Mindmaster.

Mapa Mental sobre Revolução Francesa Com Mindmaster

mapa mental sobre revolução francesa

Antecedentes da Revolução Francesa

Para contextualizar historicamente a Revolução Francesa, podemos listar alguns fatores antecedentes importantes:

  • Sociedade estamental – As hierarquias sociais eram muito bem-definidas entre três classes (também chamados Estados): em ordem decrescente, clero, nobreza, e servos e camponeses. A defesa da ideia de igualdade jurídica as mudanças econômicas colocaram esse esquema até então imutável em xeque.
  • Absolutismo – A organização política no século XVIII na Europa era de monarquias absolutistas, organizadas em torno da figura do rei. Na França, o monarca centralizava o poder, concentrando a autoridade hoje atribuída aos 3 Poderes. Sua autoridade era baseada na teoria do direito divino dos reis, que seria substituída por teorias laicas no decorrer da revolução.
  • Mercantilismo – A França pré-revolucionária era fundamentalmente feudal, com economia calculada na agricultura e trabalho altamente hierarquizado entre o dono da terra (nobre) e o camponês. O comércio entre nações era cheio de barreiras artificiais e a riqueza de uma nação era determinada pela quantidade de moeda em sua posse (metalismo). Novas ideias e dinâmicas econômicas levaram ao enriquecimento da burguesia e ao fortalecimento gradual de seus interesses contra os das outras classes.
  • Ideias iluministas – O motor filosófico da Revolução Francesa foram os ideais iluministas. Embora não fossem uniformes, os discursos da época passaram a questionar a autoridade régia e do clero, e a valorizar a experiência humana individual. As crenças na razão, liberdade e progresso chocaram-se definitivamente com o modelo absolutista. A valorização do livre-pensamento levou a atritos com a fé e a autoridade dos sacerdotes e da nobreza.

O processo de Revolução Francesa

Todas mudanças realmente grandes são difíceis de explicar em detalhes em suas causas e consequências. Com a Revolução Francesa não é diferente. Por isso, ela é dividida didaticamente em alguns períodos.

Crise dos Estados Gerais (1788 -1789)

O período de 1756 até 1789 foi de grande fome e miséria na França. Contribuíram para isso uma sequência de guerras e crises econômicas e financeiras. A solução encontrada pelo rei e seus conselheiros para reerguer o país foi criar impostos sobre as terras de clero e nobreza.

Os impostos foram recebidos como uma novidade injusta e geraram revolta. Portanto, para chegar a um consenso sobre reformas econômicas, o rei foi obrigado a convocar os Estados Gerais – uma assembleia de representantes das classes sociais, que não era convocada desde 1614 no país.

Era das Assembleias (1789 – 1792)

Na reunião dos 3 Estados, a classe social inferior dominou os debates, pois sensivelmente mais numerosa. Foi um momento de grandes mudanças, essencialmente o fim do feudalismo e o começo do Estado moderno francês.

A nobreza perdeu seus direitos feudais, ou seja a isenção fiscal e o monopólio sobre a terra. O clero também passou por uma mudança de paradigmas: os religiosos passaram a ser funcionários públicos e o corpo da Igreja teve seus bens confiscados. A Igreja francesa rompeu com o domínio do Vaticano.

Em 1791 foi aprovada uma nova Constituição, formalizando as mudanças: divisão do Estado em três poderes, eleição por voto censitário, igualdade jurídica e criação de uma Assembleia Legislativa Nacional.

Também foi publicada a Declaração universal dos direitos do Homem e do cidadão, que prevê igualdade jurídica entre todos – mas não igualdade social. A defesa da igualdade social seria defendida radicalmente no período seguinte, a Convenção Nacional.

Os Estados Gerais era uma reunião deliberativa, mas a força e a violência também foram amplamente usadas para aplicar mudanças. A Queda da Bastilha é um exemplo disso: a tomada da fortaleza real da Bastilha (uma prisão em Paris) em busca de armas é o episódio-marco da Revolução Francesa.

Convenção Nacional (1792 – 1794)

Essa segunda fase é caracterizada por radicalizações, remodelação da sociedade e violência. O rei Luís XVI foi destituído do poder em setembro 1792 e executado em janeiro de 1793 numa invenção bastante usada durante esse período – a guilhotina. Em 1792 também foi proclamada a República.

A máxima de Liberdade, Igualdade e Fraternidade passa a vigorar nessa fase. Mas não existe consenso sobre qual desses valores é mais urgente e o terceiro Estado se divide em três principais facções, que disputam o poder para decidir isso na prática:

  • Girondinos: integrados pela alta burguesia, eles querem a estabilidade após uma revolução política
  • Jacobinos: essa é a corrente mais dominante durante a Convenção. Seus membros são da baixa burguesia e querem revolução política e social
  • Sans-culottes: formado pelos trabalhadores urbanos de Paris, esse grupo dá prioridade à revolução social

Os jacobinos detêm o domínio da Convenção. As principais conquistas alcançadas são a criação do exército profissional e uma nova Constituição. O exército passa a ter um plano de cargos e salários, com promoções baseadas no mérito e alistamento obrigatório.

A Constituição de 1793 traz as novidades do voto universal, a reforma agrária (distribuição de terras), a abolição da escravidão em colônias francesas (como o Haiti), ensino público gratuito, pensões para viúvas e órfãos e o tabelamento de preços máximos para bens de comércio.

Apesar dos pontos positivos, esse é conhecido como o período do Terror Revolucionário: muitos opositores políticos dos governantes eram condenados à guilhotina. Estimam-se me 40 mil os executados, incluindo nobres, padres, girondinos e jacobinos.

Essa barbárie gera insatisfação popular. Somada a uma crise econômica, ela motiva uma conspiração – um golpe de Estado.

Diretório Nacional (1794 – 1799)

A fase do Diretório consolida as conquistas da Revolução e busca a estabilidade nacional. Sob o domínio político dos girondinos, cria-se uma nova Constituição e o exército nacional é radicalmente fortalecido.

A Constituição de 1795 reorganizou o poder Executivo num diretório de cinco pessoas e dividiu o Legislativo em duas câmaras para maior estabilidade política. Também “desfez” a reforma agrária e a abolição da escravidão. Mas essa mudança foi muito mais simples no papel do que na prática, pois gerou muita revolta popular.

A economia segue em má situação e tanto as classes populares quanto a nobreza passam a se levantar contra o governo, que passa a depender da força do exército para seguir atuando.

A imagem de fragilidade e corrupção do Diretório ante à população foi confirmada em 1799. Em 9 de novembro desse ano, o general Napoleão Bonaparte assume o controle do Legislativo e do exército por meio de um golpe e força os membros do diretório a abdicar. Era o fim da Revolução Francesa e o começo do Império napoleônico francês.

O Que é Mindmaster

O Mindmaster é uma ferramenta de criação de mapas mentais e diagramas em geral que ajudam a facilitar a compreensão de assuntos, organização de ideias e fluxo de pensamentos. Ele pode ser usado por estudantes, profissionais ou quem quer que esteja interessado em visualizar melhor uma série de conteúdos. A plataforma é muito fácil de usar e permite enorme detalhamento e personalização.

mindmaster interface

Os recursos do Mindmaster

Mindmaster é a maneira mais interessante de criar mapas mentais de maneira simples, e os seguintes atributos explicam por quê:

  • Interface simples: Menus intuitivos, bem-organizados e claros garantem que o usuário complete sua tarefa sem se perder durante o processo!
  • Acervo fenomenal: Um catálogo com temas e desenhos de mapas e diagramas para diversas finalidades está inteiramente à sua disposição com um objetivo: criar o melhor mapa mental!
  • Imagens em alta qualidade: Mindmaster conta com menus inteligentes e busca simples de mais de 700 imagens e formas, que servirão para criar os mais criativos mapas!
  • Arraste e solte: A dinâmica de arrastar e soltar objetos do menu direto na tela de trabalho vai agilizar a criação de mapas mentais como em nenhum outro programa do tipo!
  • Modo brainstorming: Se o seu objetivo é criar algo grandioso em grupo, o modo brainstorming vai organizar visualmente a colaboração de várias pessoas num criativo e poderoso mapa mental!
  • Gerenciamento de projetos: O modo Gantt do Mindmaster transforma o programa num planejador gráfico avançado para aumentar sua produtividade radicalmente!
  • Apresentação de slides: Além de permitir a criação facilitada, Mindmaster conta com um excelente modo de apresentação para abrilhantar suas exposições acadêmicas e palestras profissionais!
  • Mulltiplataforma: MindMaster é uma ferramenta versátil porque funciona em diversas plataformas, incluindo computador, celular e tablet, e com vários sistemas operacionais!
  • Exportação e compartilhamento: Mindmaster oferece diversas opções de formatos para exportação de arquivos e alternativas de compartilhamento – dê um fim aos problemas de compatibilidade e comunicação!

Requisitos de plataforma e sistema

Você pode usar o Mindmaster em todos os aparelhos e em uma grande série de sistemas operacionais, como:

  • Windows – Versão V.7.3.1, disponível para Windows de versões Vista, 7, 8 e 10 (32 ou 64 bits).
  • Mac – Versão 7.2.1, disponível para sistemas Mac OS X 10.10 e superiores.
  • Linux – Versão 7.2, disponível para sistemas Debian, Ubuntu, Fedora, CentOS, OpenSUSE, Mint, Knoppix, RedHat, Gentoo e mais.
  • Android – Versão 1.2.0, disponível para versões Android 4.4 ou superior.
  • iPhone e iPad – Versão 2.1.0, disponível para iOS 11.0 ou posterior.

O programa também está disponível na versão Web, para uso conectado à internet, sem necessidade de download.

Consideração Final

Um mapa mental pode ser uma chave que abre a porta do conhecimento sobre um assunto complicado. Por exemplo, neste texto abordamos a Revolução Francesa, um marco histórico que conta com múltiplos personagens, enredos e um legado enorme que pode ser difícil de absorver usando nossas ferramentas tradicionais. Com o Mindmaster é possível visualizar o assunto e entender melhor o que aconteceu. Teste e comprove!

Baixe Gratuitamente Modelos Online de Mapas Mentais Populares

Escolha à partir de uma ampla variedade de modelos de mapas mentais para negócios, educação e dicas de vida. Baixe qualquer um dos modelos para o seu uso pessoal.